15.12.12



Daqui a 12 horas o meu amigo mais antigo casa-se.

De tempos a tempos, mais ou menos um por ano, eles vão seguindo o curso da vida, nos seus casos o esperado.

Eu assisto, sempre sem par para além dos amigos de sempre, sentada, ao desfilar de palavras bonitas e de compromisso, ao "sim", aos beijos depois do bater dos talheres nos pratos, às montagens fotográficas com os momentos importantes da relação, ao cortar do bolo, enrolar dos braço e bebericar dos copos de champanhe e aos foguetes no final.

Sou uma romântica incurável (e deplorável) e adoro casamentos. Acredito mesmo que é para sempre e comovo-me com o passo, com o assumir do compromisso, tão raro. 

Mas não espero pelo dia em que serei eu. Costumo dizer que sou pouco exigente no momento de me apaixonar e muito depois. É um defeito. Mas já encontrei a pessoa certa umas quantas vezes. Só que o momento muda, passa e fica para trás.

Aos meus amigos, casados, a casar e futuros casados só desejo o melhor e que o momento nunca passe.

3 comentários:

  1. Não era a pessoa certa, Lili, essa ainda não chegou. Com essa não haverá momentos a ficar para trás ou para a frente, exigência a mais ou a menos. A "coisa" será, e pronto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahh eu acredito profundamente nisso Maria! :)

      Eliminar
  2. parece-me uma boa forma de ver as coisas.

    ResponderEliminar