2.7.12





"(...) a história que acontece debaixo dos nossos olhos devia ser a mais límpida e é a mais liquefeita. Vivemos no tempo, ele contém-nos e molda-nos, e o tempo deve medir a história, não deve? Mas se não conseguimos entender o tempo, nem perceber os mistérios do ritmo e do progresso, que possibilidade temos com a história - mesmo com o nosso bocado de tempo pessoal, pequeno e largamente não documentado?"

Julian Barnes in O Sentido do Fim

2 comentários: